Miríades

Data
Categoria
Autor

(2007, 22 de maio) Essas poeiras, supetão, são esteiras de areia Essas pequenas nulidades completamente etéreas Essa saudade São ranços de outra realidade Sereias que se afogam em grãos e germinam, senão fatalidade Lixas de caridade ralam-te aos poucos e, à tarde, com os pássaros, rouba-te o egoísmo puído ao esperar que amanhã lascarão de ti amores