Fotografias que não tirei - Menino na lavanderia

Data
Oct 3, 2007 5:36 PM (GMT)
Categoria
textofotografias que não tirei
Autor
Rodrigo Franco

Era de tarde, uma tarde macenta de trabalho. Pela janela, o reflexo das pastilhas que cobriam o prédio da frente desenhavam quadradilhos com a sombra da persiana do escritório, este escritório que é claro e é vago; as paredes brancas sopram a luz para fora por aberturas não que se vê. Engraçada, a fachada lateral do prédio era coberta por estas pastilhas, em que se vagavam duas aberturas, as lavanderias dos pequenos apartamentos, como se fossem as duas únicas aberturas por onde o ar úmido das toalhas e o bafo do arroz saía. Mais a dentro nestas varandinhas vinha a parede da cozinha, a porta magra e a janela suja, o resto era concreto pintado. A toalha do urso, ou cachorro, fez um pequeno movimento para que entre ela e a da praia surgisse a carinha de um menino - e os brancos dos olhos em contraste com sua pele mulata concorreram com o branco vencido das toalhas. E piscou umas 3 vezes e depois parou suas órbitas e me olhou certo sentenciando sua condição de menino de poucas aberturas.