Lance

Farrapos dourados, açucarados como a margem do Nilo azeitados em perfumes densos como as chagas das deidades são meus dados, que acaricio delicadamente a passear com poros macios na nodosa carne da amora dediricando as nuances cada topo e cada vale das dunas incrivelmente brandas da pele aveludando o humor líquido e indissolúvel em sua cor inestímavel e lanço O que são poeiras perdidas senão meu encontro pois o que perdi volto a ter em minha sorte