Aposentos

Todos sou eu: A cozinha está aberta Meus cheiros desavisados afagam os estranhos Meus lustres sensatos Minhas listas E os olhos de cebola Desaguam ao topo do meu aposento o descalabro, meu bicho de estimação tão pequenino