Concretismo

Data
Nov 25, 2010 9:21 PM (GMT)
Categoria
poesia
Autor
Rodrigo Franco

Não há mais o velho sol gentil, não há mais arrepios tímpanos; não se ouve mais A doçura se foi, o encantamento Não estão as andorinhas Não caem do bolso as gotas de orvalho Não há orvalho Foram-se os dedais melodiosos do verão Não mais estão Sumiu o pequeno quadrado de grama molhada morreu seu cheiro desapareceu seu ar grafado por colunas Então: por quê? por quê? Insidiosamente haverá sabor porque haverá saudade inclusive saudade Porque dor, porque dói Haverá parto; caminhos pedras Parecerá divino o que for porque virá Há de vir