Acuranti

Molho de luzes, escorrendo flamante sabinas que beliscam certezas Segredos e luzes: eu ri Era sua enorme cauda Só aparece à noite e não se sabe qual delas Não tem lua, reza ou peça que lhe possa que lhe peça Porque aquilo que foge é o que ser quer, a quilo Segredo e luzes Lumens e portais de areia e fé E o pássaro da verdade não voa: é Apenas 3 olhos viram Acuranti apenas dois o quiseram enquanto querer apenas se foi Se morreu, se se viu, viveu nunca mais