Corcel

Data
Mar 24, 2008 6:42 PM (GMT)
Categoria
poesia
Autor
Rodrigo Franco

Tal força, tais veias que levam a fome aos cantos Tal fome se espalha na cara, na fúria no entre Tudo que leva é si sua tinta e pele ungida borrando a passagem Daquela mordida do ântumo fervendo as entranhas paridas de fogo Daquela saliva visgal me salta a febre rasgando a verdade do músculo maçante O vento o segue porque não o confronta o chão aventa porque não ousa o passo o tem e atira A sorte remonta tempos de outra sorte outra vida e explosão Imberbe traço de vontade assitida Inocente rompante que grita o grito do eu