Maldades

Data
Sep 30, 2007 10:24 AM (GMT)
Categoria
poesia
Autor
Rodrigo Franco

(2006, 23 de novembro) Maldades, prostradas deitadas maleitas em berços esplêndidos chupam caroços de sonhos,entupidos, e, à revelia de qualquer pedido, babam poças, e nelas descansam mamando laborioso descenso Parcos, pobres, falidos são lustres de teto que lambem vapores da sauna incensada das dores presentes e assim são dados seus luxos aos olhos voltados ao maldoso chão espalmado