Sorriso e pérolas

Ontem sonhei com pérolas em colares de milhares de contas Todos os vieses em fechos roçavam pescoços latejantes; Disse-me o anfitrião: Dá um círculo a quem não vê e deixa – não restará beleza Olhei os lustres, cristais os guardanapos brilhosos De saco cheio dessa beleza medieval acordei pelado e sorri