Vilã

Excessivamente, a palavra dorme em excesso Fora doce, fora outrora palavra de outros tempos Intento Mas agora ressona intranquila em casa de vila em pequenas casinhas simplórias beijadas por quintais quintescentes Agora é vilã Se ainda é viva é porque respira meu ar meu escasso ar e me retira ser excessivamente