Pano de fundo

Quantos fios tem o pássaro-da-água cristalina que se ouve cantar nas módicas terras da península de Litur? Que notas move, que os grandes sons tocam gotas e desfazem pedras. Há muitos milênios toca os olhos com o bico tingindo a paisagem Desregrado e mulambo traz o bico sempre molhado incorreto, dizem, lento, dizem, mas seu tempo é o da água de onde não se vê direto quem não é pássaro-da-água E o que não se enxerga, guarda-se no armário da loucura