Para sorrir

Para sorrir é preciso dúvida não mais daquela água não mais o desencontro Amarrar aos cantos da alma o sal desse que provo é tal qual o mel de meu fruto Porque ao secar o céu caíram as nuvens da descrença