Por dentro

Afagas-me ao relento entre as coisas de nós e os nós porque temos a quem precisar E dura mil anos teu afago com os dedos calejados a dentro de mim saindo por feridas por cascas de âmbar E a cisma meu perjúrio constante Deixa pra lá