Dentro

Feche os olhos verá que há dúvida em mim Que não permeia os simples sarros, sente-se materna de todos os dias Com suas radículas úmidas é água Uma dúvida coalhada de uns Sussurra e persuade, feche os olhos e ela estará lá, nítida Trai tudo ao correr com suas coisas encondendo seu sexo Perfídia! Mas de uma lealdade tão querida que quando choro é água