Moldura

Data
Sep 24, 2011 2:47 PM (GMT)
Categoria
poesia
Autor
Rodrigo Franco

Como se houvesse moldura para os desfechos Todas lágrimas, cernes, suor e calafrio Segura minha mão pois não te vejo como as nuvens e as montanhas Não te toco como a areia e a água, apenas ouço o inexplicável de teu ser que passa por mim não ao fim mas ao perene colóquio da amizade Ao recomeço: Mais me importa crer Do resignado corpo ainda resta um espírito inconforme