Ruídos

Conversas abafadas e o húmus de um dia no fim vivalmas em vivendas bebendo suas esquinas Mais um dia menos um dia numa antimática que nunca fecha Não há resto, não há salvação Apenas nós num cordial infinito trançado e trancado e livre de um