Buquês

Ao canto esquerdo domingo Ébrios buquês de janelas emparelhados Encolhem expandem deitam-se, fracos Uma imagem de santa O que diz? Imagens não dizem; como as pessoas rogam interpretação Eis que se vê, por dentro da realidade côncava da lágrima Somos virados Prestes a nascer a cada segundo como se por dentro desabrochassem milhões de cada, mãos e cabeças estocadas vibrantes Houve quem não quis ser mas hoje rebenta uma flor